Não solicitamos autorização de terceiros para a publicação de conteúdo neste blog. Caso alguém discorde de alguma publicação, entre em contato pelo e-mail elisandro.felix@gmail.com e solicite, com justificativa, a exclusão do material.

domingo, 21 de fevereiro de 2016

LEITURA E INTERPRETAÇÃO TEXTUAL - ATIVIDADE 9º ANO - REPORTAGEM MENINAS MÃES

MENINAS MÃES

Elas trocaram escola, garotos e baladas por enjoos, fraldas e mamadeiras. E contam como a gravidez transformou a vida delas.
Ficar grávida na adolescência é mais do que um susto: é uma mudança radical de vida! Tudo fica diferente: desde o corpo da garota até as relações com o namorado, os pais, as amigas e, principalmente, com o seu futuro. Para ficar mais óbvio: seis em cada dez garotas que ficam grávidas param de estudar. E, dessas, só 40% voltam para a escola a escola após terem o filho! E isso é só o começo. Ainda há o preconceito que a garota vai enfrentar e a frustração por deixar, ao menos por um tempo, as festas, baladas e viagens com a galera para assumir um monte de novas responsabilidades. [...]

PREVINA-SE SEMPRE
[...]
Ficar grávida na adolescência significa pular ou, no mínimo, dificultar etapas importantes da sua vida, como se dedicar 100% a passar na faculdade, ser livre para sair e viajar com suas amigas e paquerar bastante sem muito compromisso. Então, o melhor caminho é a prevenção. Consulte o seu ginecologista para saber qual o método anticoncepcional mais adequado para você. E nunca transe sem camisinha, que ajuda a prevenir a gravidez e ainda previne as doenças sexualmente transmissíveis.

ESTOU GRÁVIDA! E AGORA?
A primeira medida é contar o que está rolando para alguém em quem você confia. Essa pessoa vai ajudá-la a tomar decisões com mais calma. Pode ser uma amiga, uma prima, sua tia... Seus pais precisam saber. [...] o mais comum é que eles se sintam tristes ao receber a notícia, mas, depois, ficarão do seu lado. Também é essencial que você dê a notícia para o pai da criança. Por mais medo que tenha de que isso o afaste, o garoto tem o direito de saber, e você, de dividir essa responsabilidade com ele. Juntos, mesmo que decidam não continuar namorando. Vocês ficam mais fortes para enfrentar os desafios que virão e dar ao bebê o carinho que ele merece. [...]


Capricho, São Paulo, n. 1097, p. 84-88, maio 2010.


GLOSSÁRIO
Prevenção: ação ou resultado de prevenir-se, tomar precaução.
Ginecologista: médico que estuda a fisiologia e a patologia do corpo feminino e trata das doenças e da patologia correspondente ao aparelho genital.
Método anticoncepcional: método que evita a gravidez.
Doenças sexualmente transmissíveis: também conhecida pela sigla DST, são doenças transmitidas principalmente durante a relação sexual, como a AIDS, a hepatite B e muitas outras.

REFLETINDO SOBRE O TEXTO

1. De acordo com o texto, o que acontece com as meninas depois que engravidam, em relação a:
a) escola
b) amizades
c) família

2. Releia este trecho.
[...] seis em cada dez garotas que ficam grávidas param de estudar. E, dessas, só 40% voltam para a escola após ter o filho!

Você acha que quem opta por não voltar para a escola está garantindo um futuro melhor para o filho ou não? Por quê?

3. Segundo o texto, o que é preciso para evitar a gravidez?

4. Que conselhos o texto apresenta para a leitora, caso ela esteja grávida?

O TEXTO EM CONSTRUÇÃO

5. Em qual veículo de comunicação foi publicada essa reportagem?

6. Esse texto poderia ser publicado em uma revista de esportes? Justifique.

7. Para quem o texto pode ter sido escrito, ou seja, quem pode ser o público-alvo da reportagem? Cite partes do texto como justificativa.

8. Algumas palavras citadas no texto fazem parte do vocabulário dos jovens. Cite algumas dessas palavras?

9. O uso dessas palavras (do vocabulário dos jovens) deixa o texto mais formal ou informal? Justifique.

10. O tema gravidez na adolescência poderia ser assunto de um texto para outro tipo de leitor? Qual?

OPINANDO SOBRE O ASSUNTO

11. Este assunto “Gravidez na adolescência” é um tema de seu interesse? Por quê?

12. Que outras informações você gostaria de saber sobre esse assunto? 

FONTE: FIGUEIREDO, Laura de; BALTHASAR, Marisa; GOULART, Shirley. Singular & Plural: leitura, produção e estudos de linguagem. São Paulo: Moderna, 2012. 


Nenhum comentário:

ATIVIDADES ESCOLARES

ATIVIDADES ESCOLARES
SOL.ETI.BR

Cadastre-se e receba atualizações do blog em seu e-mail.

SEGUIDORES