Não solicitamos autorização de terceiros para a publicação de conteúdo neste blog. Caso alguém discorde de alguma publicação, entre em contato pelo e-mail elisandro.felix@gmail.com e solicite, com justificativa, a exclusão do material.

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

FÁBULA O HOMEM E A GALINHA - LEITURA E INTERPRETAÇÃO TEXTUAL - 8º E 9º ANO



Atividade sugerida ao 8º e 9º ano fundamental


O homem e a galinha



Era uma vez um homem que tinha uma galinha. Era uma galinha como as outras.

Um dia a galinha botou um ovo de ouro. O homem ficou contente. Chamou a mulher:

– Olha o ovo que a galinha botou.

A mulher ficou contente:

– Vamos ficar ricos!

E a mulher começou a tratar bem da galinha.

Todos os dias a mulher dava mingau para a galinha. Dava pão-de-ló, dava até sorvete. E a galinha todos os dias botava um ovo de ouro.

Vai que o marido disse:

– Pra que este luxo todo com a galinha? Nunca vi galinha comer pão-de-ló… Muito menos sorvete!

Vai que a mulher falou:

– É, mas esta é diferente. Ela bota ovos de ouro!

O marido não quis conversa:

– Acaba com isso, mulher. Galinha come é farelo.

Aí a mulher disse:

– E se ela não botar mais ovos de ouro?

– Bota sim! – o marido respondeu.

A mulher todos os dias dava farelo à galinha. E a galinha botava um ovo de ouro.

Vai que o marido disse:

– Farelo está muito caro, mulher, um dinheirão! A galinha pode muito bem comer milho.

– E se ela não botar mais ovos de ouro?

– Bota sim. – respondeu o marido.

Aí a mulher começou a dar milho pra galinha. E todos os dias a galinha botava um ovo de ouro.

Vai que o marido disse:

– Pra que este luxo de dar milho pra galinha? Ela que cate o de-comer no quintal!

– E se ela não botar mais ovos de ouro?

– Bota sim – o marido falou.

Aí a mulher soltou a galinha no quintal. Ela catava sozinha a comida dela. Todos os dias a galinha botava um ovo de ouro.

Um dia a galinha encontrou o portão aberto.

Foi embora e não voltou mais.

Dizem, eu não sei, que ela agora está numa boa casa onde tratam dela a pão-de-ló.



(ROCHA, Ruth)



01. O texto recebe o título de O  homem e a galinha.  Por que a história recebe esse título?


a) Porque eles são os personagens principais da história narrada.
b) Porque eles representam, respectivamente, o bem e o mal na história.

c) Porque são os narradores da história.
d) Porque ambos são personagens famosos de outras histórias.
e) Porque representam a oposição homem-animal.

02. O marido não queria tratar a galinha de forma especial para:


a) economizar dinheiro.
b) ganhar fama.
c) não acostumá-la mal.
d) para não chamar atenção.
e) ser diferente.



03. Na passagem “onde tratam dela a pão-de-ló”, a expressão destacada quer dizer:


a) desprezada.
b) infeliz.
c) humilhada.

d) bem tratada.
e) maltratada.



04. A mulher tratava bem a galinha porque ela era:


a) comum.
b) diferente.
c) pequena.

d) velha.
e) grande.



05. Qual das características a seguir pode ser atribuída à galinha?

a) avareza
b) conformismo
c) ingratidão
d) revolta
e) hipocrisia


06. A galinha foi embora para:


a) procurar outras galinhas.
b) mudar de galinheiro.
c) procurar boa comida.
d) fugir dos maus tratos.
e) para mudar de ambiente. 

07. Antes de dizer que a galinha deveria catar “o de-comer no quintal”, o que o marido mandou a mulher dar para a galinha?


a) Farelo.
b) Pão-de-ló.
c) Sorvete.
d) Ovos.
e) Milho.

08. Qual das afirmativas a seguir não é correta em relação ao homem da fábula?


a) É um personagem preocupado com o corte de gastos.
b) Mostra ingratidão em relação à galinha.
c) Demonstra não ouvir as opiniões dos outros.
d) Identifica-se como autoritário em relação à mulher.
e) Revela sua maldade nos maus-tratos em relação à galinha.

09. Era uma vez um homem que tinha uma  galinha. De que outro modo poderia ser dita a frase destacada?

a) Era uma vez uma galinha, que vivia com um homem.
b) Era uma vez um homem criador de galinhas.
c) Era uma vez um proprietário de uma galinha.
d) Era uma vez uma galinha que tinha uma propriedade.
e) Certa vez um homem criava uma galinha.

10. Era uma vez é uma expressão que indica tempo:

a) bem localizado
b) determinado
c) preciso
d) indefinido
e) bem antigo
  
11. A segunda frase do texto diz ao leitor que a galinha era uma galinha como as outras. Qual o significado dessa frase?

a) A frase tenta enganar o leitor, dizendo algo que não é verdadeiro.
b) A frase mostra que era normal que as galinhas botassem ovos de ouro.
c) A frase indica que ela ainda não havia colocado ovos de ouro.
d) A frase mostra que essa história é de conteúdo fantástico.
e) A frase demonstra que o narrador nada conhecia de galinha. 

12. O que faz a galinha ser diferente das demais?

a) Botar ovos todos os dias independentemente do que comia.
b) Oferecer diariamente ovos a seu patrão avarento.
c) Pôr ovos de ouro antes da época própria.
d) Botar ovos de ouro a partir de um dia determinado.
e) Ser bondosa, apesar de sofrer injustiças.

13. O homem ficou contente. O conteúdo dessa frase indica um (a):

a) causa
b) tempo
c) explicação
d) consequência
e) comparação

14 - A presença de travessões no texto indica:
a) a admiração da mulher
b) a surpresa do homem
c) a fala dos personagens
d) a autoridade do homem
e) a fala do narrador da história

15 - Que elementos demonstram que a galinha passou  a receber um bom tratamento, após botar o primeiro ovo de ouro?
a) pão-de-ló / mingau / sorvete
b) milho / farelo / sorvete
c) mingau / sorvete / milho
d) sorvete / farelo / pão-de-ló
e) farelo / mingau / sorvete

16 - Dizem, eu não sei... Quem é o responsável por essas palavras?
a) o homem
b) a galinha
c) o narrador
d) a mulher
e) o ovo


LEITURA E INTERPRETAÇÃO TEXTUAL - 6º ANO ENSINO FUNDAMENTAL



Atividade sugerida ao 6º ano fundamental

TEXTO 01

Mais um animal

Chico chegou da rua com um gatinho muito preto e muito magro debaixo do braço.
- Vai me dizer que já arrumou mais dor de cabeça pra mim – disse-lhe a mãe.
- Olha pra ele, mãe, tão bonitinho, tão magrinho. Ocê não tem dó dele?
- Dó eu tenho, mas não quero saber de mais bicho em casa. O quintal já tá parecendo zoológico.
- A senhora mesmo vive rezando pra São Francisco, o santo que acolhia os bichos...
- Não é por ser devota de São Francisco que vou transformar minha casa em zoológico.
(...) Chegam muito os três que vivem embaraçando nas pernas da gente.
- Olha pra ele, mãe. Só ele, tenha piedade do coitado. Não deve ter dono, nem pai, nem mãe, nem irmãozinho.
- Não quero nem olhar.
- Já sei por que não quer: para não pegar amor por ele. Alisa só o pelinho dele, vê como o coitado tá maltratado. Se fosse um angorá, aposto que você ia querer.
- Se fosse um angorá, o dono não deixaria solto na rua.
Chico saiu alisando o pelo do gatinho, triste por ter que se livrar dele. Sentou no alpendre e conversou com o gatinho:
- Você tem que compreender que a casa não é minha, se fosse...No fundo, ela tem razão. Tenho três cachorros, três gatos, um papagaio, meia dúzia de galinhas, uma já ninhada de cinco pintinhos; um casal de patos, um porquinho da Índia, um coelhinho orelhudo ... (...) já vi que ocê não compreende, que quer mesmo ficar.
Vamos lá dentro tentar de novo? Vamos?
- Mãe, você...
- Outra vez com esse gato?
- Eu só queria um pedaço de pão molhado no leite para dar pra ele.
A mãe deu um pedaço de pão e um pires com leite. Chico começou a matar a fome do novo amigo.
Pão comido, leite lambido, a mãe falou:
- Agora que ele comeu, pode dar o fora. E trate de levar esse gato pra bem longe.

(José, Elias. Com asas na cabeça, adaptado.)

QUESTÃO 01

Leia o trecho abaixo:

“Chico chegou da rua com um gatinho muito preto e muito magro debaixo do braço.
- Vai me dizer que já arrumou mais dor de cabeça pra mim – disse-lhe a mãe.”

Agora responda: Quem traz problemas para casa?

(A) a mãe.
(B) Chico.
(C) o gatinho.
(D) o narrador.

QUESTÃO 02

Leia novamente o trecho:

“- Vai me dizer que já arrumou mais dor de cabeça pra mim – disse-lhe a mãe.”

O trecho destacado no período acima significa

(A) mais um animal perigoso para cuidar em casa.
(B) mais sofrimento com o abandono de animais.
(C) mais preocupação para a mãe de Chico.
(D) mais uma boca para comer em casa.

QUESTÃO 03

O travessão inicial que aparece no trecho “-Você tem que compreender que a casa não é minha, se fosse...” indica

(A) a fala da mãe.
(B) a fala do gato.
(C) a fala do Chico.
(D) a fala do narrador.

QUESTÃO 04


Observe o diálogo:

“- (...) Se fosse um angorá, aposto que você ia querer.
- Se fosse um angorá, o dono não deixaria solto na rua.”

Para a mãe de Chico, se o gato fosse angorá, seu dono não deixaria solto porque seria um gato

(A) doente.
(B) de raça.
(C) perigoso.
(D) muito querido.

QUESTÃO 05

Leia a frase:

“- Olha pra ele, mãe, tão bonitinho, tão magrinho. Ocê não tem dó dele?”

No período acima, as palavras ele e dele referem-se a (ao)

(A) São Francisco.
(B) papagaio.
(C) Chico.
(D) gato.

QUESTÃO 06

Observe a frase:

“(...) Chico começou a matar a fome do novo amigo.”

A expressão em destaque tem sentido de um amigo

(A) com pouca idade.
(B) que está para chegar.
(C) conquistado recentemente.
(D) com quem se tem pouco contato.


TEXTO 02

Um comilão irreverente

A história do beagle é muito antiga. (...) Ele é considerado um dos mais antigos cães que caçam pelo faro – diferentes daqueles que caçam pela visão. Ele provavelmente foi levado pelos caçadores da Inglaterra para outros países da Europa e, mais tarde, para o resto do mundo. No Brasil, sua introdução é relativamente recente.
É um cão forte e pesado para o seu tamanho. Sua altura não ultrapassa os 40 centímetros e pode chegar a pesar aproximadamente 15 quilos. A raça foi desenvolvida para caça miúda, como coelhos e lebres. Quando bem treinado é capaz de correr o dia inteiro, embora não chegue a desenvolver grandes velocidades, alcançando, no máximo, 50 quilômetros por hora. As suas orelhas caídas são uma excelente proteção para os ouvidos contra espinhos e galhos pontudos. Rústico e dócil, costuma ser carinhoso com seus donos. Precisa de bastante espaço para se movimentar e de exercícios constantes para se desenvolver.
De temperamento independente e brincalhão, não é agressivo e exige firmeza, coerência e paciência para ser educado. É sociável e prefere estar sempre acompanhado. Por isso, é uma excelente companhia para crianças, adultos ou mesmo outros animais. Resiste bem às doenças em geral e o único cuidado que se deve ter é com a obesidade, pois ele é muito guloso.
Come tanto que não sabe parar e pode até morrer de indigestão. Portanto, controle as refeições. O beagle é excelente companhia, e você nunca vai se sentir solitário com ele por perto.

(Revista Natureza. Ano 7, nº 81, p. 35-37, adaptado.)   


QUESTÃO 07

Comparando os textos 1( Mais um animal) e 2 (Um comilão irreverente), é correto afirmar que

(A) apenas no texto 1 fica clara a preferência do personagem por animais de raça.
(B) em ambos os textos, existem descrições dos animais em evidência.
(C) somente o animal do texto 2 se destaca por não possuir bom faro.
(D) os dois textos tratam de animais treinados para a caça.

QUESTÃO 08

O texto (2), além de narrar a origem do cão da raça beagle e descrever suas características físicas, também

(A) fornece informações a respeito de como educá-lo.
(B) desaconselha seu convívio com crianças e idosos.
(C) esclarece que, apesar de guloso, tem um estômago sensível.
(D) informa sobre sua incapacidade de percorrer grandes distâncias.

QUESTÃO 09

Leia o trecho:

“Por isso, é uma excelente companhia para crianças, adultos ou mesmo outros animais.”

A expressão em destaque no trecho refere-se ao fato de o beagle ser

(A) um cão de caça.
(B) um cão de porte pequeno.
(C) um cão forte e pesado para o seu tamanho.
(D) sociável e preferir estar sempre acompanhado.

QUESTÃO 10

Com base na informação contida no título, “Um comilão irreverente”, e na leitura do texto, é possível afirmar que

(A) o beagle, por ser forte e pesado, só pode ser criado em fazendas.
(B) os cães da raça beagle não podem ser domesticados.
(C) o único cão de caça do mundo é da raça beagle.
(D) o beagle é um cão de caça guloso.

QUESTÃO 11

Leia:

“As suas orelhas caídas são uma excelente proteção para os ouvidos contra espinhos e galhos pontudos. Rústico e dócil, costuma ser carinhoso com seus donos. Precisa de bastante espaço para se movimentar e de exercícios constantes para se desenvolver.”

De acordo com as informações do trecho acima, podemos afirmar que suas orelhas caídas

(A) servem para protegê-lo quando está correndo atrás da caça.
(B) servem para ajudá-lo a desenvolver maior velocidade.
(C) evidenciam o quanto ele é dócil e educado.
(D) prejudicam sua audição durante a caçada.

QUESTÃO 12

Leia o trecho abaixo:

“Quando bem treinado é capaz de correr o dia inteiro, embora não chegue a desenvolver grandes velocidades, alcançando, no máximo, 50 quilômetros por hora.”

A expressão destacada está entre vírgulas porque

(A) foi antecipada para fins de destaque dessa informação.
(B) evidencia uma observação feita pelos criadores de cães.
(C) ressalta a capacidade do cão para percorre grandes distâncias.
(D) destaca o limite de quilômetros que o cão pode percorrer por dia.

Organizado pelo Prof. Elisandro Félix de Lima

ATIVIDADES ESCOLARES

ATIVIDADES ESCOLARES
SOL.ETI.BR

Cadastre-se e receba atualizações do blog em seu e-mail.

SEGUIDORES